– in(e)terno.

Alan Blair ~
Foto: Arquivo Pessoal. Poesia por: Alan Blair

Por trás dessas paredes (sólidas/mortas), tudo continua (a)normal.
Por trás dessa casca, dessa pele crespa, dessa roupa rasgada, tudo continua igual.
Por trás daquelas montanhas, existem nuvens tempestuosas, intempéries intermináveis, vertentes distantes.
Mas, por dentro desse oco/louco coração, existe o toque do assombro, o sopro da certeza e a prece nossa de cada hora.

Anúncios

3 comentários sobre “– in(e)terno.

  1. Isso quer dizer que ainda existe esperança. Uma das coisas mais importantes, aquela que muitas vezes não nos deixa desistir, nos levanta e diz “continua, você vai conseguir”, nos dá forças pra transpor barreiras que julgávamos ser intransponíveis.
    É, meu caro, enquanto houver esperança, nem tudo estará perdido. 😉
    :*

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s