; Mosaico

Alan Blair ~

Foto e poesia por: Alan Blair

Pobre peito.
Terei absurdas convulsões de amor.
Dilatei-me em dezenas de micro pedaços.
Mosaico de vitral.
Cores novas partidas de contornos velhos.
Caleidoscópio.
Filtrei-me em centenas de macro partículas.
Cores boreais, aquareladas por paletas enferrujadas, manuseadas por mãos em calos, farpas, cacos.

Estou em expansão, hipnotizado pela sua capacidade pura de coragem.
Dos fios de seus cabelos, farei uma trança, ligando seu peito até o meu coração.
Artesanalmente, pegarei todas as linhas de suas mãos, e, unindo com as minhas, bordarei nosso futuro.
Juntos, intactos, simples.

Descubra sua cabeça, meu jardineiro. Descamaremos cada espaço desse escudo que envolve o seu peito vasto, e sem dor, benzeremos seus medos com as lágrimas que ainda precisam cair, lavando seu rosto, levando os receios, cristalizando sua alma.

Alma.
Calma.
Palma unida de nossas mãos.
Olhos bem abertos e passos firmes.
Na cabeça, fica a certeza da incerteza.
No coração, estampa-se a verdade de nosso amor.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s