bye, bye, so long, very well…

Alan Blair ~

Foto e Carta por: Alan Blair.

Em Leopoldina, um clima parcialmente instável, com pancadas de muita correria, possibilidade de uma tarde amena com algum descanso predominantemente embaixo das cobertas com possíveis crises de apagão no coração.

Um clima seco, opaco, quente. Centenas de milhares de pernilongos te assassinando impiedosamente e uma enorme carência de chuvas, o que gera a morte dos girassóis.

Casa fedendo queimado, roupas fedendo queimado, narinas cheirando queimado e o coração… ah! O coração ainda bate bem, obrigado. Garranchos pretos na folha de papel e falta de fita na máquina de escrever.

Os mesmos vinis no toca disco e o mesmo familiar lenga-lenga de Oi-sou-um-menino-carente-porém-legal-busco-minha-alma-gêmea-mesmo-que

não-seja-gêmeo-ou-ascendente-em-leão-entre-logo-em-contato-beijos e ter sempre a caixa de mensagens vazia.

O mundo te liga a cobrar e suas chamadas dão sempre ocupadas, “oi você me ligou mas não posso atender porque estou ocupado com meus problemas deixe sua mensagem após o sinal tu tu tu tu tu tu tuuu”.

_Tu ta na merda hein, garotão!

_Ah, para com isso, a vida é sua e é você quem a veste. Se a roupa não foi correta, se rasgou, apertou ou não combina com as novas tendências Primavera/Verão, troque-a, ou se preferir, fique pelado mesmo, corra por aí, livre, desfilando essa bunda murcha, esse peito inchado, e já que, para levantar é preciso cair, pule do mais alto precipício e erga-se maior e mais forte.

_Claro! Para você que só está falando, tudo parece mais fácil, mas para nós, que sentimos, ficamos desprovidos de motivação. Vou virar nômade, tocar tuba, Hare Krishna, yoga, vou me desdobrar astralmente e assim ninguém me acha, queridinho. Bye, bye, so long, very well…

Em Leopoldina, o tempo continua parcialmente instável, com pancadas de muita correria e possibilidades de chuva, sol e arco-íris, claro, com um pote de ouro no final, todinho seu.

Anúncios