~ indo.

Alan Blair ~
Foto e Texto: Alan Blair

Deixei recados na porta da geladeira avisando que vou-me
embora amanhã de manhã.

Deixei o quarto vazio, a estante vazia e a cama sem colchão,
mas enchi minha mão com possibilidades e
enfiei tudo dentro do meu bolso.

Na medida que pegar a estrada, vou soltando, de pouco em vez,
fazendo minha pequena enorme trilha.

Se não para o sempre, talvez para o infinito.

– Bergamotas branquinhas.

Alan Blair ~
Foto: Bergamota e Diego. Texto: Alan Blair

Ele passou aproximadamente cento e vinte e dois dias à sonhar com planos, saudades, alegria e um pouco de choro, para tudo, de repente, desmaterializar, feito dente-de-leão, que bate o vento e leva longe (quem pega no ar, faz um pedido e sopra de volta).

Estranhamente, foram aproximadamente mais cento e vinte e dois dias mastigando, mastigando, mastigando as palavras engasgadas.

Foi então que dia sete faz trinta e um dias que tudo isso ficou largado no meio do caminho…

No fim, eu aprendi que não há fim, mas sei também, que acima de tudo, eu cresci.