Lícito

Alan Blair ~

Foto e Texto por: Alan.


“Se a realidade te alimenta com merda, meu irmão, a mente pode te alimentar com flores”
– Caio Fernando Abreu

Expele a fumaça boca à fora.
Rodopia no ar até desaparecer.
Deposita as cinzas na Alegria que sentia/sente, sorridente nessa loucura mansa de viver.

A tontura leve esculpindo um sorriso no rosto, um arrepio no braço.
Queria mais gente, ainda mais agora, a TV pifada, o dedo pelado.
E roda na cama macia com os olhos fechados, aquela necessidade insana de dançar, nem que seja sozinho, errando os passos consigo mesmo e não se importando com nada disso.

Tira a roupa, nu no frio que faz lá fora, mas no quentinho que está aqui dentro.
Fuma o filtro e acha graça, e gargalha num instante de criança, de infância, de presente de natal com um laço enorme.

E o que ele quer, menina, é vivacidade, textura, tato e cabelos cacheados, se possível.

Ele só quer as luzes apagadas e um par para dançar agarrado, enquanto o mundo congela lá fora e eles se descabelam aqui dentro.

Anúncios

2 comentários sobre “Lícito

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s