POMBA PRETA

Comecei a escrever novamente, depois de um certo longo tempo. Neste certo longo tempo eu estava vivendo, para ter o que contar. Agora, com um pouco mais de vivência,  tento desenvolver uma nova história. Cresce um pouco a cada dia, sem a pretensão de ser algo notório, mas que será algo algum dia. Com início, meio e fim. Acho muito difícil escrever. Exige esforço e vivência de coisas. Me falta imaginação e originalidade para escrever histórias fictícias.  Então escrevo sobre o que conheci, ouvi falar ou vivi. Irei compartilhar recortes dessas histórias quase verídicas que escrevo neste momento. Não seguirá ordem, nem sequência. São trechos retirados de algo maior, resguardado pela presença da Pomba Preta.

Alan.

 

I

annamiro

Nós caminhávamos pelas ruas de Leopoldina geralmente umas três vezes na semana, às vezes mais, por vezes menos, mas costumava ser no mesmo horário, lá pelas cinco e tanto, seis e pouquinho, quase nunca sete e pouca da noite.

Era sempre no horario em que as lojas estavam fechando e as pessoas indo para suas casas. Costumava bater um vento gostoso, apesar do calor constante, já característico da cidade. Gostávamos de olhar as casas pelo caminho, sempre escolhendo uma ou outra para fantasiarmos que era nossa.

As casinhas mais simples eram as preferidas, mas não desprezávamos as casonas grandes. O fator decisório para a escolha final era se tinha jardim ou quintal.

Poderíamos fazer tantas coisas diferentes se tivéssemos vivido uma vida provida de um jardim ou um quintal.

No jardim, tomaríamos café assistindo as pessoas passarem, como por tantas vezes passamos também. Acenaríamos. Haveria, certamente, um banquinho de madeira, e bastante flor amarela, amarelo de Oxum, trazendo beleza e aconchego para as nossas vidas.

No jardim, passaríamos a maior parte de nosso tempo livre, lendo um livro, fumando um cigarro, pensando na vida, sobre qualquer coisa corriqueira, talvez um problema, mas não muito sério, não ao ponto de interromper o momento único que era estar no jardim.

No quintal, tomaríamos banho de mangueira em dias de calor, ou acenderíamos fogueira quando estivesse frio. Poderíamos, quem sabe, dormir em barraca quando a lua fosse cheia ou armaríamos mesa com toalha branca e comida gostosa para jantarmos fora à luz da lua. E haveria árvore. Grande. E, se haveria árvore grande, haveria também fruta para comer, dentro da casinha da árvore (que também ia ter).

Mas tudo isso era apenas a nossa imaginação traiçoeira, que se perdia em íntimos desejos. Admirando o jardim alheio, íamos embora, de certa forma, um pouco frustados, pois esses jardins, que tanto cobiçamos, eram sempre solitários.

Possuíam bancos, cadeiras e mesas, mas nunca havia alguém sentado. Nunca conhecemos seus donos desfrutando aquela sensação íntima de ter uma casa com jardim.

 

annamiro

Anúncios

3 comentários sobre “POMBA PRETA

  1. Sempre achei muito interessante a forma como você transmite as suas vivências, a forma como você “produz conteúdo”, seja um texto ou uma foto. Apesar de escrevermos textos autobiográficos, você utiliza metáforas, dando tonicidade ao seu mundo “bucólico” do “seu” interior, incluindo o interior de minas, é claro ahah. E te vejo como uma Clarice Lispector, Chico Buarque… e eu me vejo mais como Nelson Rodrigues, talvez essa seja a nossa diferença….

    1. Ô amigo, que coisa mais bela de se ler. Esse texto saiu de uma história onde eu tentei ser um nelson, juro que tentei. Eu comecei sendo, mas esse meu jeito doce de escrever impossibilitou tudo. Eu não sei se eu sei escrever de alguma outra forma.Faça seu blog, faça seu blog agora, faça seu blog agora mesmo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s